O fantasma de Wilde parte 1

1/26/2013 05:55:00 AM

Matéria publicada no meu blog de Metal em 2012

http://santuariodometal.blogspot.com.br/2012/07/literatura-e-musica-o-fantasma-de-wilde.html

"Apaixonada por Edgar Allan Poe e amante de Oscar Wilde". Admiro muito esses dois escritores, cada um de uma maneira diferente contribuiu no universo da Literatura Universal e são exemplos de vida e superação. E hoje, a matéria do meu blog dedica-se novamente a união da música e da literatura, minhas duas maiores paixões na vida. Antes de mais nada, vamos conhecer um pouco sobre a vida de Wilde.


"Oscar Fingall O'Flahertie Wills Wilde nasceu em 16 de outubro de 1854, na cidade de Dublin,capital da Irlanda. Filho de Sir William Wilde, médico dado a aventuras amorosas que teve a carreira prejudicada por escândalos, falecido em 1876, e de Jane Francesca Elgee, escritora de versos patrióticos com o pseudônimo de Speranza e ativista do movimento da Independência Irlandesa, Oscar Wilde, desde sua infância, via-se cercado por grandes ícones, intelectuais da política e pensadores da arte. Fato que com certeza contribuiu muito para seu desenvolvimento pessoal. [...] Estudou nas melhores escolas, sempre se destacando no universo literário e ganhando prêmios.
Casou-se com Constance Lloyd  , filha de um advogado renomado de Dublin. O casal muda-se para a Chelsea, local conhecido por abrigar artistas e intelectuais, e em 1885, nasce o primeiro filho, chamado Cyril. No ano seguinte nasce Vyvyan. [...]

Entre os anos de 1887 e 1888, várias obras foram publicadas. Entre elas, O príncipe feliz e O Fantasma de Canterville, que se tornariam referências de sua carreira literária. [...]

Mas em 1891, Oscar lançou sua obra maior: O Retrato de Doryan Gray. Esta obra, que aborda a decadência moral humana, colocaria o escritor no patamar dos maiores autores da literatura inglesa. Também publica A alma do homem (sobre o socialismo) IntentionsLord Arthu Savile's Crime and Other Stories e A house of Pomegranates. [...]


Havia diversos rumores sobre sua conduta pessoal, inclusive sobre uma suposta homossexualidade, envolvendo-se com garotos de programa, que era considerada crime e severamente punida pelos tribunais.
Em 1891, conhece Lord Alfred Douglas (16 anos mais novo e conhecido como Bosie) e ambos envolvem-se afetivamente.  








[...] Em razão de sua opção sexual, que antes era vista como crime, Wilde é envolvido em um processo jurídico. Wilde é condenado à pena máxima: dois anos de prisão com trabalhos forçados. Em 27 de maio, Wilde é conduzido à Prisão de Pentoville, de onde passa, dias depois, à de Wandsworth. Em 13 de novembro é transferido para a prisão de Reading, onde ficaria até o fim da sentença. [...]

Após esse período conturbando, envolvendo as acusações, processos jurídicos, condenação e declínio moral e financeiro, Oscar conhece a face mais rude da pobreza. Passa a maior parte do tempo em quartos de hotéis baratos destruindo-se através do absinto. Envergonhados pelo destino do pai, os filhos de Oscar, os quais nunca mais os veria, chegam a trocar de nome. Sua esposa morre em 1899. [...]

Na manhã do dia 30 de novembro de 1900, às 9h50, em um quarto chulo de um hotel parisiense, falece vítima de um ataque de meningite (agravado pelo álcool e pela sífilis) e de uma infecção no ouvido conhecida porcholesteotoma. Inicialmente, seu corpo foi sepultado num pequeno cemitério de Bagneux. Em seu enterro, compareceram apenas o amigo pessoal Robert Boss, que chegou a fazer divulgação dos manuscritos do autor, e Lord Alfred Douglas, que arcou com as despesas do funeral. Posteriormente, o corpo de Oscar Wilde foi transferido para o cemitério Père Lachaise, onde repousa até hoje.
Após a morte de Oscar, Lord Alfred Douglas aparentou muito sofrimento, mas converteu-se ao catolicismo e casou-se. Este matrimônio, apesar de render um filho, não durou muito tempo e, devido à vida pregressa com Oscar, Alfred não pôde manter a guarda dos filhos. Em seu livro de memórias, Without Apology (Sem desculpas), escrito em 1938, fica evidente que Lord não esqueceu do escritor. Em 1945, falece Lord Alfred Douglas. Neste mesmo ano, O Retrato de Doryan Gray, ganha uma versão cinematográfica nos Estados Unidos, sob a direção de Albert Lewin. [...]"



E se você preferir, pode assistir ao filme "WILDE" que dá ênfase a vida amorosa e os dilemas de uma sociedade de falso moralismo da era vitoriana.
A história de Oscar Wilde, poeta e dramaturgo irlandês, gênio da literatura. Não por acaso, o filme tem uma espécie de subtítulo, "o primeiro homem moderno". Na virada do século 20, Wilde (Stephen Fry) escandalizou a sociedade com a maneira que viveu sua homossexualidade. Casado e com filhos, viveu um caso turbulento com o jovem Lord Alfred Douglas (Jude Law), que deixou os ingleses de cabelo em pé. Por causa de seu comportamento sexual, foi obrigado a prestar dois anos de trabalhos forçados.
E agora vamos falar do conto a ser apresentado nessa postagem, O fantasma de Canterville. 
"Na Primavera de 1890, o diplomata americano Hiram B. Otis chega a Inglaterra e decide comprar o Castelo de Canterville, nos arredores de Ascott. Fora advertido de que cometia uma loucura, porque na habitação apareciam, nada menos que, almas do outro mundo.  
  
      O próprio Lord Canterville, o honesto proprietário do castelo, pertencente à sua família  há várias gerações, adverte o comprador; o lugar está assombrado. É difícil conciliar o sono, à noite, por causa dos esrtranhos ruídos,vindos do corredor e da biblioteca.

 
Porém, o diplomata não acredita em fantasmas e sua mulher acha que dá uma certa originalidade aos jantares que organiza. Os gêmeos se divertem em pregar peças ao fantasma residente que deixa de assustar para passar a ser assustado.

   O velho fantasma de Canterville tem 300 anos e não sabe o que fazer da vida. O seu trabalho é aterrorizar pessoas, mas os americanos que acabam de se instalar no castelo não se assustam com nada. O pior mesmo é quando as crianças começam a caçá-lo...
Só a filha adolescente, bela e meiga, compreende a sua imensa tristeza, a extensão de seu sofrimento. Ela resolve ajudá-lo a se desprender para a conquista da paz!"




 

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários