No limite da vergonha

6/15/2013 10:31:00 AM

Francisca Raquel Queiroz Alves Rocha (Editoria Educação)


Professor - slideshow

Não é de hoje que os professores– que deveriam ser mais valorizada em todo país, em virtude da magnitude e responsabilidade que lhe é atribuído em seu ofício diário de educar– da cidade de Juazeiro do Norte são vítimas das artimanhas políticas.


Como se não bastasse os tantos desafios existentes na arte de educar, a Câmara Municipal da cidade de Juazeiro do Norte aprovou neste mês (dia 06 de junho) um projeto de lei do prefeito Raimundo Macedo que prevê uma redução do benéfico do Plano de Cargos e Carreiras dos professores municipais, que pode chegar até a 40% .




juazeiro - slideshow

Mas o que realmente os “representantes do povo” desejam é que tanto a classe de professores como os alunos, sejam “desmotivados”. Porque, meu povo, isso é óbvio! Se eu vou receber menos, meus problemas de âmbito pessoal aumentam (dívidas e corte de gastos para tentar equilibrar as próximas contas no final do mês)... Se eu vou receber menos e trabalhar mais, porque “raios” eu vou me dedicar para fazer uma aula espetacular???

Por outro lado, o aluno já não agüenta o tempo atual de aula, imagina 60 minutos... Mais uma obra desse projeto de lei, que não beneficia a ninguém...


E sabem qual é o grande plano dos nossos governantes??? Vejam bem, meus caros: a educação é a força motriz que rege a nossa vida social. Independente do profissional que você seja, para estar ai, exercendo sua profissão, um grande responsável por isso (além de você mesmo e de sua força de vontade), foi o professor: aquele que na sua infância você chamava de tio (a), que acompanhou você no ensino fundamental, médio, superior e nos cursinhos profissionalizantes...



alienação - slideshow

Ao bater de frente com o professor, os “nossos representantes” pretendem atingir diretamente tudo que gira em torno do processo educacional.

Com uma educação e pessoas fragilizadas (professor, aluno, escola, pais, etc), eles querem formar uma grande massa alienante, de fácil manipulação, que aceite “cabes baixo” tudo que eles bem quiserem fazer conosco. Sem educação, sem pessoas que pensem e questionem esses “camaradas”, será bem mais fácil aplicar o que vemos hoje– de forma camuflada–, a tão conhecida política do “pão e circo”.

Exemplificando: quando chegar, por exemplo, o Juá Forró e suas inúmeras atrações visando nos divertir e de certo modo, esqueceremos das nossas discussões a respeito da violência gritante, da saúde precária, da desigualdade social, etc.

“Tudo é de graça, meu povo!”
“Tudo é mentira, meu povo!”

Este dinheiro que deveria ser investido em áreas prioritárias, são desviados diante de nossos olhos. Parecemos tão catatônicos quanto a isso... Sabe qual o nome dessa doença? Conformismo!!! Achar que nada dessa vida tem solução. Se tivermos isso como filosofia de vida, continuaremos a ser marionete nas mãos dos poderosos que se enriquecem cada vez mais a custo de lágrimas de pessoas inocentes...


O que eu estou fazendo aqui, meus caros, não é defendendo A ou B. Apenas estou mostrando os fatos como eles realmente são. Isso, é JORNALISMO!!!



Saiba mais



  • Share:

You Might Also Like

0 comentários