Meu Valentim

2/14/2014 10:03:00 AM


Acima da montanha dos desesperados, uma voz clama
Suja e maltratada pela vida que sempre cobra
De meus restos mortais, o pó dos ossos é sua glória

É a insensibilidade aflorando a cada dia, Valentim?
É a ganância cegando os seus sonhos, doce amor?
Quem já teve o poder nas mãos

De joelhos, ouço a sentença
De joelhos as lágrimas queimam minha face

Por seu amor, eu tenho caído em desgraça
(Não quero mais te ouvir, Meu Valentim)
Por seu amor, eu perdi minha divindade
Por seu amor
Meu único Valentim

Eu tenho caído em desgraça

Aconteceu há tanto tempo, mas eu sinto que foi hoje
Praguejando, violando e leiloando minha alma
De meus restos mortais, o pó dos ossos é sua glória

É a maldição que sempre me persegue, Valentim?
É a lembrança de todo o prazer, doce amor?
Quem já teve o poder nas mãos


Por seu amor, eu tenho caído em desgraça...

Eu tenho caído em desgraça...
Só você não ouve o meu chamado nas profundezas?
Só você, meu Valentim, tem um rosto envolto de sombras
Olhe para mim, uma única vez
Você realmente me amou?



Você sabia?
São Valentim,é um santo reconhecido pela Igreja Católica e igrejas orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde celebram o Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.
imperador Cláudio II, durante seu governo , proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército. Cláudio acreditava que os jovens, se não tivessem família, alistar-se-iam com maior facilidade. 
No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega, Artérias, filha do carcereiro, a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim.
 Os dois acabaram apaixonando-se e,milagrosamente, a jovem recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270.
Entretanto, desde 1799 sua data não é mais celebrada oficialmente pela Igreja Católica em função da precariedade de comprovações históricas que levam em questão até mesmo a sua existência, assim ele e considerado o santo do dia dos namorados e também do dia dos amigos

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários