Capítulo 08: Impotente

7/31/2014 11:13:00 AM

A covardia é o meu forte, não é mesmo? E eu mereço tudo de ruim por isso. 

"Já disse o que aconteceu aqui, professora..." 

"Ok. Não vou pressionar você. Mas estou de olho em você, Vanessa. E assim que eu notar algo de estranho, você será punida." Logo vi a pessoa que provavelmente delatou a professora sobre a verdade. Eu não sabia o motivo de Marx ter feito isso...


...

"Lindsay, por favor desperte, querida!"

"Por favor, eu não quero deixar você aqui, minha dor... Esse mundo é menos sombrio com você como companhia. Contudo, nessa imensidão de escuridão absoluta e castigante, posso sentir o calor de suas mãos. Preciso levantar e alcançar a ponta de seus dedos. Desejas me libertar? Ou apenas é mais um a zombar de mim? Eu quero desistir e novamente me lançar nesse abismo. Posso?"


Ass: Lindsay


____________________

Era tarde demais. Ela já havia pulado na piscina de águas cristalinas. Seu corpo boiava inanimado. Os espectadores estavam à postos, hipnotizados, descrentes com aquela situação. Outros choravam horrorizados. Especialmente a professora Juliana, que tinha um carinho especial pela aluna Lindsay. Porém, nada se comparou ao desespero do zelador James, pai da garota, quando se deparou com a cena.

Ele automaticamente pulou na água, nadando rapidamente, com esperanças de salvar sua filha. Mas ela já jazia ali. Seus colegas de classe como a  Carol e a Wanessa, estavam em estado de choque, como estátuas vivas assistindo a um filme que parecia não ter fim. Marx, um dos causadores de tamanha desgraça, como covarde que sempre fora, ausentara-se daquele nefasto momento. 

E eu? Me senti um desgraçado, o maior arquiteto responsável por toda aquela situação também. Acho que os céus estão se preparando para chorar agora...

Ass: Brandon

Eu quero morrer

(Estou muito cansado desta vida)
Eu só quero morrer
(Tudo o que preciso é o meu grande sono)
Eu só quero morrer
(Você está tão longe)
Eu te amo até a morte
(Você ama outra pessoa)
Então, eu só quero morrer
Eu só quero morrer

(Outro dia passou por mim)
Eu só quero morrer
(Mais um dia preenchido com dor)
Eu só quero morrer
(Você não está aqui)
Eu te amo até a morte
(Você está com outro alguém)
Então, eu só quero morrer
Eu só quero morrer

Crio ódio
Me odeio por te amar
Crio ódio
Me odeio por te amar

Nós nos tocamos pela última vez
Você se foi há muito, apaixonado por outra pessoa
Agora eu nada temo, apenas a própria vida
E eu aprendi que viver é apenas uma maneira lenta de morrer
Não acredito mais na vida ou no amor
As alegrias que sinto são alegrias vazias
Me odeio por te amar
O medo que sinto noite após noite tornou-se uma doença
Ninguém consegue ver o vazio nos meus olhos
Escapar da própria vida parece ser agora a única solução
Com alívio, eu quero me livrar dessa dor
Finalmente... existe paz na minha alma
Deitar morta, sem nenhuma preocupação, sem nenhuma lágrima
Você é dono do meu coração e a vida sem você é imensamente dolorosa
Só de pensar em você, falar de você,
sonhar com você... faz lágrimas cairem do meu rosto
Não consigo imaginar felicidade sem o seu lindo sorriso,
Seu rosto angelical, seu corpo maravilhoso e seu bom coração
Você é tudo, eu sou nada
Eu quero morrer, mas, na verdade... Já estou morta"

(Outro dia passou por mim)
Eu ainda quero morrer
(Mais um dia preenchido com dor)
Eu ainda quero morrer
(Você não está aqui)
Eu te amo até a morte
(Você está com outro alguém)
Então, eu só quero morrer
Eu só quero morrer

(Crio ódio)
Me odeio por te amar
(Crio ódio)
Me odeio por te amar
(Crio ódio)
Me odeio por te amar
(Crio ódio)
Me odeio por te amar

Para mais informações sobre a banda Mortal Love, acessar o link: http://santuariodometal.blogspot.com.br/2013/09/mortal-love.html

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários