Ausência

8/22/2014 07:46:00 AM

O tempo que corre em nossas veias é imperceptível nas entranhas desse mistério
Recordações infantis fazem as lágrimas queimarem como brasa em meu corpo
Numa luta pela sobrevivência diária, continuar respirando ainda é um alívio
Mesmo que eu esteja tão distante de seu toque, isso não quer dizer "um fim"

A ausência não significa o esquecimento
Pois na essência seu olhar rege meu dia
E quando escuto você me chamar
Sei que a paz na guerra é possível
Destrua o medo interior

O tempo que corre nas ruas da agonia de quem não tem o alimento da alma
Recordações infantis fazem a dor ser esvaziada de meu peito por um momento
Numa luta pela sobrevivência diária, continuar caminhando é para os bravos
Mesmo que eu esteja tão distante de seu amor, isso não quer dizer "um fim"

A ausência não significa o esquecimento...


A ausência não significa que morri
Pois no universo eu estarei sempre aqui
E quando escuto seu sussurro
Sei que a paz é possível
Destrua a maldade interior

 *poema baseado na música da banda Stream of Passion

 

Roaring screams
Rush over the hills
Slicing the air, filling our ears
Tainted hands
Carrying horns of steel
They claim the road
In the name of fear
Stay
The night is filled with terror
Stay here in my arms forever
Stay
Between these walls we’ll start
A war of our own
There’s no drink
To allay their thirst
Till the world burns
They won’t rest their heads
Stay
The night is filled with terror
Stay here in my arms forever
Stay
Between these walls we’ll fight
A war of our own
Stay, outside it’s raining fire
Stay were I can
Keep you safe and warm
Stay, outside it’s raining fire
stay until the flames die down
Stay, my love, and fight
This war of our own

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários