Diga meu nome

10/26/2014 10:00:00 AM


Meus imundos pensamentos nos consomem nesta noite
Ei de afagar seus lindos pesadelos, emanar reais sensações
Todo esforço originário do gozo de estar viva ao seu lado
Ei de sussurrar pervertidas palavras que nos deixarão loucos

Diga meu nome, por favor repita gentilmente, eis meu capricho
Eu estou apaixonada pelo sofrimento de amar
De amar o nada que sou
Diga meu nome, por favor repita gentilmente, eis minha orgia
Eu estou apaixonada pelo sofrimento de amar
De amar a solidão que mora em mim

Alma, separada e guardada, virgem preservada em seu paraíso
Aqui está a estimada pecadora disposta aos seus pés
Peça-me tudo que quiseres, pois o nada que sou me fez estar aqui
Como um cadela pedindo carinho e proteção, muito mais que prazer

Diga meu nome, por favor repita gentilmente, eis meu capricho
Eu estou apaixonada pelo sofrimento de amar
De amar o nada que sou
Diga meu nome, por favor repita gentilmente, eis minha orgia
Eu estou apaixonada pelo sofrimento de amar
De amar a solidão que mora em mim

Você não tem ideia do que eu passei para estar sobrevivendo dia após dia
Alimentando seu próprio ócio, uma morfina para sua ilusão, machuca-me mais
Cada palavra que não foi dita, cada mão não estendida
Tudo que eu sou eu devo a você
Simplesmente você!

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários