Capítulo 9: Frankenstein- parte 1

3/10/2015 07:45:00 AM

No necrotério, Brandon foi me visitar. Ele estava bastante revoltado com o seu destino. Desde que eu havia me sentido coagida e lhe pedira que me deixasse em paz, ele perdeu os poderes dados por Siegfried. Como se não bastasse, indagava-se o porquê de perder as pessoas que amara desde pequeno: sua mãe morreu quando o ele era um menino de 5 anos de idade... Fora criado sem pai, no mundo de ninguém, sobrevivendo as tentações, mostrando ao mesmo tempo, toda a sua capacidade de dar a volta por cima e se tornar alguém digno, contudo sem fé. O  martírio de todo o seu sofrimento teve um aparente fim ao conhecer Cassie.

Era um amor avassalador, inocente e intenso. A emoção do primeiro filho fora algo inexplicado. A segunda realização da sua vida! Até que as coisas começara novamente a desmoronar. Cassie abortou e depois de um tempo, fora vítima de uma acidente automobilístico. Brandon ficou perturbado e se não fosse pela ajuda da tribo dos Haidas, ele não teria conseguido se reerguer.

Naquele colar estava a esperança de um homem ter seu amor de volta. No regresso ao lar, a visita e violação do túmulo da amada afim de deposita-lhe no pescoço o colar da ave negra da morte e assim, 'ressuscitá-la', foi um evento que o fez ainda mais em pedaços. Ele só comprovou que durante todo esse tempo, estivera louco da mente, do coração e do espírito. 


Não era possível ressuscitar os mortos. Como ousou pensar isso? Contudo, tantos eventos sobrenaturais lhe ocorrera desde então, que talvez ressuscitar os motos fosse o mais são de tudo... Brandon começou a se culpar. Segundo a lenda, somente o verdadeiro amor seria ressuscitado. Ele sentiu que falhou com Cassie inúmeras vezes. Mas desta vez fora pior, porque duvidava do próprio sentimento. 

Realmente houve um dia em que chegara a amar? Por que o colar não surtiu efeito? Chorar e se amaldiçoar foi a única solução. Siegfried permaneceu quieto, repousando nos ombros de Brandon e compartilhando de seu fardo perante à vida que lhe negara o amor novamente. Os sonhos acusatórios de Cassie só se intensificaram. 

Com o passar do tempo, Brandon transitava entre a linha tênue da loucura e da sanidade. Até que eu apareci em sua vida. Os sonhos de Cassie foram direcionados a mim. A princípio, ele não entendia o por quê deveria me proteger... e futuramente me amar... e me salvar...

"Eu espero que desta vez dê certo, Lindsay".

Gentilmente, Brandon depositou o colar em meu pescoço enquanto recordava da última aula em que me viu viva. Foi logo na manhã da quarta-feira.

...

A festa humilhante acabara e eu voltara misteriosamente para casa, sem recordar de alguns momentos vividos anteriormente. A vergonha era eminente em meu rosto e eu jamais poderia deixar que meu pai suspeitasse do que realmente acontecera. Cheguei em casa e contive as lágrimas. Aquele desfile, os gritos de 'gostosa, delícia', as pornografias, a filmagem, a comida e bebida forçada, tudo isso tive que deletar da minha mente, assim que cheguei em casa.

Continua...

Resultado de imagem para Frankenstein mulher gótico

Meu Frankenstein

Choque de realidade
1, 2 e 3, aumente a carga!
Drene o máximo de poder
Abra os olhos, retorne à vida
1, 2 e 3, aumente a fé!
Derrube o eligir dos alquimistas
Misturei restos mortais humanos
Ao seu doce néctar não provado

Choque de realidade
1, 2 e 3, aumente a carga!
Rasgue o céu com seu urro
Levante-se desta cadeira
1, 2 e 3, vamos brincar?
Derrube o véu pós-morte
Esteja comigo outra vez
Deixe-me beber o néctar não provado

Meu Frankenstein
Meu adorado ser
Meu amante quente
Minha canção pesada

Bato em seu peito e desmaio
Envolvida em seus braços estou
Acordo confusa e vejo a sombra
Daquele que sempre me amou...





  • Share:

You Might Also Like

0 comentários