CONFLUÊNCIAS E CONTRADIÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO E SOCIEDADE

8/23/2015 09:19:00 AM

*trabalho que fiz quando eu cursei Letras
Resultado de imagem para EDUCAÇÃO E SOCIEDADE

                     Sabe-se que a Educação é o processo de desenvolvimento da capacidade física, intelectual e moral do ser humano, baseado na troca de conhecimentos. Já a Sociedade é o grupo de indivíduos que vivem por vontade própria, sob normas comuns, submetidas a um regulamento, exercendo atividades comuns ou defendendo interesses comuns.

                    Em se tratando do tema deste trabalho, tanto a Educação como a Sociedade “devem caminhar de mãos dadas”, ou seja, trabalhar mutualmente na formação profissional e moral do ser humano já que no mundo em que vivemos o conhecimento é algo imprescindível. O Estado, a Família e a Escola possuem um papel muito importante nesse processo, cada um exercendo a sua devida função, contribuindo direta e indiretamente nesse processo educacional do indivíduo.

                   À principio, o 1º “sistema educacional” no Brasil teve como “professores”, os jesuítas (membros da Companhia de Jesus, ordem religiosa fundada por Inácio de Loyola), que catequizavam os nativos (sociedade da época, chamados de cristãos novos), cujo o foco principal era ensinar-lhes a respeito da religião católica, como também transmitir a cultura dominante da época (cultura européia). Basicamente era voltada para oralidade, por meio de sermões que seguiam os ensinamentos de retórica (oratória) dos jesuítas e de fácil entendimento.

                Hoje em dia, a escola é um estabelecimento público ou privado onde se ministram o ensino coletivo. Percebe-se que atualmente as escolas estão voltadas à valores capitalistas (sistema econômico e social baseado na propriedade privada dos meios de produção, na organização da produção, visando o lucro e empregando trabalho assalariado e no funcionamento de sistemas de preços) tão almejada pela nossa sociedade, que está preocupada com o bem estar financeiro, sem se importar em formar seres humanos, portadores de valores morais e éticos.

               À respeito desse questionamento temos uma sociedade completamente capitalista, que acaba influenciando a Educação/Escola, para que ela siga esse mesmo caminho. Um exemplo clássico é que para divulgar a sua “marca” (escola vista como uma empresa) e supostamente o quão bom e proveitoso é o seu ensino, as escolas geralmente particulares, estampam faixas com nomes de vestibulandos aprovados em grandes Faculdades ou Universidades. Os pais vêem esse tipo de ensino, um investimento e conseqüentemente a aprovação dos filhos em cursos de “maior prestígio social” é o lucro esperado.


                    Vale salientar as notáveis diferenças em relação ao Ensino Público e o Privado (analisado anteriormente). O ensino público ainda precisa ser melhorado, pois sabemos que essas instituições preocupem–se em atingir metas estabelecidas pelo governo, sem levar em conta se o jovem realmente está aprendendo, sem valorizar a importância de professores capacitados que estejam aptos a compartilhar o conhecimento com os demais e que realmente ensinem a matéria que lhes dizem respeito, como também se faz necessário que o professor tenha a liberdade para trazer novos materias didáticos para incrementar a aula (os atuais livros didáticos distribuídos pelo governo, não atendem as reais necessidades, por muitas vezes serem resumidos).

                      Sabemos que não só a escola ou particularmente os professores, devem ser responsáveis pela educação. A família (que às vezes se omitem de seu papel, deixando a responsabilidade nas mãos dos professores) exerce uma função nesta etapa e o aluno deve se esforçar e ter em mente  que a Educação abrirá inúmeras portas, para que seu futuro seja promissor, lembrando aquele famoso discurso que “o jovem é o futuro do país”, o que nos leva a valorizar o estudo para que se alcance o objetivo desejado.

                    O Governo (regime político de um estado) interfere na Educação. Podemos destacar os programas e políticas educacionais e sociais que são criados para atender a população e oferecer o que nos é de direito: que tenhamos o direito universal a educação (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), embora muitos pontos desta lei divergem com a realidade de nosso país.

                   A discussão sobre o tema proposto para este trabalho possui várias extensões, mas o foco central foi resumir algumas questões que envolvem a maneira que a sociedade interfere na educação, os mecanismos que ligam esses dois pólos e o conflito existente entre ambos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Dicionário Escolar Aurélio. Rio de Janeiro, Editora Nova Fronteira, 2004.
Artigo:A Construção de Uma Outra Sociedade Por Uma Nova Educação. Disponível em:www.4shared.com/.../A_Construo_de_Uma_Outra_Socied.htm


  • Share:

You Might Also Like

0 comentários