Capítulo 12: Sem expectativas, sem decepções!

11/19/2015 12:30:00 PM



Eu me sinto como um desses escritores malditos: cheia de sonhos, sem amores, repleta de poesias, mas sentido que permanecerei para sempre com minha alma vazia a vagar pelos mundos em busca da razão de minha própria existência :(

Então como um mecanismo de defesa quanto as próprias decepções que a vida, as pessoas, o cotidiano, o destino vai me apresentado, eu tenho que criar uma proteção contra aquilo que todo o ser humano mais alimenta: expectativas, um bom sentimento de que você pode vencer ou alcançar algo com o seu esforço, na luta contra forças contrárias que insistem em lhe puxar pra baixo.

Tem horas que o cansaço prevalece diante de meus fracassos. A vontade que surge, a primeira vista, é me entregar, abaixar minha guarda, levantar a bandeira branca pedindo paz, e ao mesmo tempo levando o tiro de misericórdia. Diante da injustiça do mundo, da maldade crescendo, das coisas ruins acontecendo, somos susceptíveis a sermos fortes em nossa fé, de que tudo é passageiro e que dias melhores virão. A resposta que não quer calar é se eu estarei viva até isso acontecer... 

O fato é que a acho melhor adotar essa política para todas as questões de minha vida: "sem expectativas, sem decepções!"...em relação a vida familiar, amigos, negócios, estudos, profissões, enfim.. é triste mas é fato. 

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários