Capítulo 16: Promessas

1/08/2016 07:49:00 AM

Como "artista" eu fiz minhas promessas...como profissional, eu também fiz minhas promessas...e quanto a ser humano, quais serão as minhas promessas para o ano de 2016?

 É vergonhoso, mas faz parte de minha vida. Praticamente em setembro serão 30 anos, que como todo autêntico poeta ultrarromântico, busco "minhas musas e meus musos" inspiradores tanto no viés da poesia e do próprio caminhar humano. 

Não procuro perfeições, pois sou humana também... nem procuro alguém que me ame 100%... me amando pelo menos 70%, já é de bom grado. Procurei imperfeições quase fieis e completamente respeitosas de todo meu amor e dedicação. Procurei erros, que por mais simples que seja, me fizeram ser a pessoa que sou hoje. Procurei um alma que não fosse gêmea, mas que fosse  meu ponto de discórdia, mas baluarte de meus receios. No fim, resumindo minhas alegorias: procurei pessoas....

Todos, tem pelo menos uma ideia, dos passos enormes que eu dei para me libertar de certos casulos sociais, metais, econômicos, e o quanto eu batalhei para que pseudos-relacionamentos fossem adiante.. eles estão bem expressos em qualquer fazer poético que está presente em meu blog desde 2012.. 

Contudo, devo admitir que há uma força maior do que eu, maior do que todos nós, que dita nossos destinos. Não há reencarnações ou karmas que pagam por isso e por aquilo. Há almas únicas que por algum motivo, são providas e desprovidas de amor.

Sou uma alma passível de doações e sacrifícios por amor, que decidiu a promessa mais difícil, mais tabu e mais idiota que possa ser feita: esse será o meu último ano em busca do verdadeiro amor. Não pretendo passar mais trinta anos de  minha vida (acho que minha perspectiva de vida, no máximo será 60 anos, com fé em Deus), buscando impossíveis. O prazo será o dia de meu aniversário: 29 de setembro de 2016... não mais e não menos do que isso...

Se até lá eu consegui um relacionamento duradouro, beleza...vou me dedicar de corpo e alma, assim como espero que essa pessoa também se dedique... caso o contrário, só tenho a lamentar... não há feridas piores em um corpo humano, do que as incuráveis do amor que permanecem em meu coração... não sou no que diz respeito a relacionamento homem-mulher, mas também aquelas mãe-filha, filha-irmãos, Raquel-amigos-colegas-inimigos, enfim!

E como não sucumbir a tentação? Pelo amor de Deus, há inúmeras pessoas no mundo vivendo sem amor, né? Eu terei que aprender a substituir esse sentimento, pelo menos nocivo sentimento: talvez um pouquinho de ego, de ganâncias de vencer e conquistar, de ocupar minha mente com o máximo de coisas possíveis, a ponto do amor por um homem/mulher/sei lá mais o que, não ser o mais importante de minha vida...

Meu Deus! Eu posso ser egoísta...mas por amor.... e em vez de viver em nome deste amor, posso direcionar a outros tipos de amor que não serão nem menos e nem mais do que o verdadeiro sentimento de amor que um dia cheguei a supostamente conhecer!

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários