Capítulo 3: O mundo oculto

1/12/2016 06:02:00 AM

Foi uma longa caminhada até acharmos o local certo que nos levaria ao mundo dos espíritos. Eu posso dizer que fui guiado pela voz que habitava em mim há muito tempo. Eu sabia todas as evocações proibidas, afinal eu fui um aprendiz de Bruxelis. Se bem me recordo, foi através desta ponte dos espíritos que , ainda aberta, Bruxelis pode exercer domínio sobre minha mãe, Kayska. 

Me perguntei como ainda está ponte estava magicamente aberta, quando o próprio mago Ancião havia selado... Com certeza havia um poder maior que a todo custo desejava unir o mundo material e o mundo dos mortos. 

Aliás, foi minha mãe que abriu este portal. Acho que ela nunca soube do real poder que tinha e do quão benéfico seria se ela tivesse utilizado este poder com moderação e equilíbrio. Evidentemente seu destino seria outro e ela poderia estar ainda viva entre nós, mas são águas passadas. 

Aiada parecia estar mais apreensiva do que eu. Confesso que, de um tempo pra cá, durante essa longa caminhada, eu pude perceber algo terno e especial nessa garota. Acho que eu estava fixado demais em adorar uma pessoa e não enxerguei que o verdadeiro sentimento esteve por pouco tempo ao meu lado e eu não consegui senti-lo. 

E agora era tarde de,aos dar alguma esperança, visto a minha futura decisão e destino, do qual não atrevo arrastar mais ninguém nessa sina. Pensando bem, acredito que foi um erro tê-la deixado vir comigo. Afinal, tudo seria desconhecido para mim e não saberia se haveria riscos ou se eu teria força suficiente para proteger a todos nós.

Contudo, não poderia desistir agora. Uma decisão errada poderia por fim a paz que nosso reino tanto precisava. Me concentrei para fazer a evocação mágica. E assim, segurando na mão de Aiada e com o coração a mil, nós atravessamos a ponte do mundo dos espíritos...

Ass: Hélis


***

Sofrimento e horror era tudo que eu poderia descrever naquele lugar. Havia uma atmosfera sombria, pesada e triste que nada condizia com o que a gente já tinha ouvido falar. Na Terra, muitas religiões que estudamos em nossa estádia no orfanato no Japão, dizia que havia um Paraíso destinado as pessoas boas e um Inferno para as pessoas más. Independente dos nomes que variam de religião para religião, o válido é que as ações de cada um pode os condenar ou os salvar no mundo espiritual. Porém, o que nós vimos foi algo assombroso demais, no qual, fugiram palavras para descrever.

"Bem-vindo, garotos! Estava esperando por vocês. Nós temos que nos esconder antes que o mago Negro ou os seus servos nos encontrem", disse o mago Ancião.

"Como o senhor veio parar aqui?", perguntei, ainda um pouco confusa com a situação.

"Não há tempo para explicações agora... Vamos!" 



  • Share:

You Might Also Like

0 comentários