Capítulo 8: Evanescência

1/22/2016 09:04:00 AM

Realmente a nossa situação não era a das melhores. Nem podíamos imaginar o que estava acontecendo neste mundo enigmático e novo. A essas horas, em contato com o Destino, o Destruidor provavelmente havia contando todas as informações acerca dos planos malucos do Mago Negro. Ambos estavam impossibilitados de fazer alguma coisa para nos ajudar. Se bem, que já nos deram grande força sem contudo, a gente ter a mínima noção. 

Como último golpe de restos de poder (mesmo sabendo qual atitude, diante do cenário atual, no qual não havia o deus efetivo da morte, e sendo assim, os seres destinados a morrer, vagariam em uma eterna evanescência para um plano desconhecido), o deus do Destino usou suas forças para alterar a linguagem do Livro do Conhecimento, a ponto de que o Mago Negro já não podia mais decifrá-lo, e somente eu, após aceitar o meu destino, seria capaz de assumir o seu lugar e ditar os destinos de seres mágicos ou não. Confuso, né?

Assim que notou a mudança da linguagem do livro, o Mago Negro dirigiu-se as câmaras onde mantinhas seus prisioneiros. Chegando lá, depara-se com a fumaça, sinal da "morte" do Destino. O ecoar da risada macabra do Destruidor, faz com que o Mago Negro dê a ele, o mesmo "destino" de seu companheiro de sela: a evanescência. 

Agora, a nossa missão é equilibrar as forças que regem o mundo material e dos mortos, para que finalmente sejam seladas todas as ameaças que insistem em manter este duelo persistente em nossas vidas.

Ass: Aiada

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários