Branca de Neve

4/14/2016 07:42:00 AM


*poesia antiga anotada em um caderno empoeirado


Seus olhos são azuis como o mar
Seu cabelo é negro como a noite
Seus lábios são vermelho como sangue
Sua pele é tão branca como a neve

Vem doce criança até mim que tua inocência já se perdeu
Vem ser escrava do mundo que tua inocência já se perdeu

Você quis esquecer do medo
Você quis provar da maça
E agora veja como está
Bem no fundo do poço
Você quis esquecer do medo
Você quis ser apenas livre
E agora vejo onde está
Branca de neve, meu amor

Você caminhou pela floresta
Hoje usa seu vestido vermelho
E espera somente a hora
Que alguém tente lhe resgatar

Vem doce mulher até mim que teu coração não bate mais
Vem adormecer neste lugar que teu coração não bate mais

E aquele que você espera não vai chegar
Porque a história não se repete
Ele não dará o beijo de teu despertar
Porque a história não se repete
Todos sabem quem você é
Porque a história não se repete
Ninguém vai te salvar
Porque a história não se repete

Você quis esquecer do medo
Você quis se afundar mais
E agora veja onde está
Não há caminho certo
Você quis esquecer do medo
Você quis viver a lamentar
E agora veja onde está
Branca de neve, sua maldita!

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários