Capítulo 6: Metamorfose da mentira

4/11/2016 09:44:00 AM

Um grane corvo mal e mentiroso chegou perto de mim
Com sua pele de cordeiro, escondendo as garras afiadas de um lobo
E me fez sangrar até a última gota
E me fez chorar noite e dia
Batam palmas para ele, o olho do mal
A mão que sufoca, o ar tóxico em meus pulmões

Um grande corvo quis ser meu amigo para sempre
Com sua pele espinhosa de uma cobra cujo veneno saiu
E me fez beber cada gole
E me fez chorar noite e dia
Batam palmas para a metamorfose da mentira
A mão que acaricia, a faca em meu pescoço

Imortais palavras articuladas para me enganar
Como uma peça do jogo, eu deixei ser guiada
E assim, depois de tanto tempo meus olhos puderam ver
Depois que a tempestade passou
Tudo que eu quero é esquecer você
Imortais palavras articuladas para me enganar
Deus sabe o quanto amei, tudo que eu fiz por você
E assim, depois de tanto tempo
Esse é o troco que recebo?
Depois de eu ter dado a minha vida?

Um grande corvo comeu a minha carne apodrecida com ânsia
Com sua pele brilhante preencheu a noite prateada
E me fez perceber a estupidez que eu fiz
E me fez chorar noite e dia
Batam palmas para a ignorância dos tolos
A mão que me toca, agora está morta!

O céu e a terra te viram ranger os dentes
O céu e a terra te viram padecer
Monstro que assombra minha mente
Volta ao teu tormento infernal
Larga-me! Eu não te quero mais!

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários