Seguindo as regras: O disfarce do engano- parte II

4/08/2016 09:01:00 AM


*poesia antiga anotada em um caderno empoeirado


Você me oferece inúmeros livros
Pede para que os leia
E observe todas as regras
Esse é o meu castigo
Ficar aguardando o seu retorno
Na madrugada sombria

Você pede para eu seguir as regras
Se você mesmo não as cumprem
Sempre me desonra
Eu fico a mercê da sorte
Se eu lhe trair em pensamento
Você será severo comigo
Meu castigo será a morte
Eu fico a mercê da sorte

Você faz um sermão pela manhã
A tarde cai nas garras da tentação
Eu apenas fico aqui em casa
Com a vela na mão
Pedindo aos céus por mim
Na madrugada sombria

O disfarce do engano bem na minha frente
Sua voz grosseira me diz sempre
Fique calada e siga as regras
Enquanto isso você me tortura
Eu só sirvo para isso
Sou uma simples escrava do amor

O silêncio do momento
Anuncia a sua chegada
Uma luz no final
Da minha pobre vida

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários