#Tag Desafio 12 meses de Poe (abril)

4/23/2016 10:26:00 AM


O conto lido deste mês foi Morela (1835). Nele, as características das mulheres de Poe são nítidas em suas personagens inteligentes, místicas, frágeis e destinadas a morrer de forma precoce, como bem sabemos das musas reais que fizeram parte da vida de Poe de maneira impactante e rápida. 

Como sempre, uma dúvida paira no conto: se a Morela, mulher do narrador, no final foi um fantasmagórico desejo concretizado na solidão de um coração atormentado, ou se a filha, fruto do amor entre ambos, é de fato a perpetuação da figura de sua amada esposa.


Separei aqui algumas frases interessantes deste conto:
ERA COM SENTIMENTOS de profunda embora singularíssima afeição que eu encarava
minha amiga Morela.
« Santa Maria! Volve o teu olhar tão belo, de lá dos altos céus, do teu trono sagrado, para
a prece fervente e para o amor singelo que te oferta, da terra, o filho do pecado. Se é
manhã, meio-dia, ou sombrio poente, meu hino em teu louvor tens ouvido, Maria! Sê,
pois, comigo, ó Mãe de Deus, eternamente, quer no bem ou no mal, na dor ou na alegria!

fulgure ao menos meu Futuro, iluminado por ti, pelo que é teu,
na mais doce esperança!
Poderei dizer então que ansiava, com desejo intenso e devorador pelo momento da morte
de Morela ?
- Este é o dia dos dias - disse ela, quando me aproximei. O mais belo dos dias para viver
ou para morrer. É um belo dia para os filhos da terra e da vida... ah, e mais belo ainda
para as do céu e da morte!
Não jogarás mais, com o
tempo o jogo do homem de Teos, mas, não conhecendo o mirto e a vinha, levarás contigo,
por toda parte, a tua mortalha como o muçulmano a sua em Meca.
do que eu entendi
do meu livro
E enquanto rolavam os anos e eu contemplava, dia a dia, o seu rosto santo, suave e
eloqüente, e estudava-lhe as formas maturescentes, dia após dia descobria novos pontos
de semelhança entre a criança e sua mãe, a melancólica e a morta. E a todo instante se
tornavam mais negras aquelas sombras de semelhança e mais completas, mais definidas,
mais inquietantes e mais terrivelmente espantosas no seu aspecto.

"Minha filha" e “meu amor" eram os apelativos usualmente ditados
por minha afeição de pai, e a severa reclusão de sua vida impedia qualquer outra relação.
O nome de Morela acompanhara-a na morte. Da mãe falara à filha; era impossível falar.


Vocês já conhecem meu livro As Mulheres de Poe?? Não? Então clique no link abaixo e descubra mais sobre esta obra que tem tudo a ver com o desafio:

Deixe uma amostra de meu trabalho literário referente ao conto lido:

Eu estou aqui

(Para Morela)
A felicidade se resume a momentos
E nós aproveitamos a vida singela
Lendo livros à meia-noite
Ouvindo o silêncio em nossas mentes.

A vida se resume a momentos
Não chore por mim agora
Eu profetizei meus delírios
Ouvindo o silêncio em minha mente.

“Mas aquela a quem na vida aborrecestes,
Depois de morta adorarás.”

Você tem medo de mim?
Eu sou apenas uma morta que vai
Descansar a alma
Mas eu estou aqui
Olhe para os olhos do nosso amor
Vivo em suas mãos
Seu nome será Morela!
Seu nome será Morela!

A felicidade não se estenderá a você
E nós estamos de lados opostos
Lendo por linhas convergentes da vida
Ouvindo o murmúrio da dor.

A vida é um eterno ciclo
Não chore porque eu ainda vivo
Eu profetizei a nova vida
Ouvindo os intrínsecos pensamentos.
Você tem medo de mim?
Eu sou apenas uma morta que vai
Descansar a alma
Mas eu estou aqui
Olhe para os olhos do nosso amor
Vivo em suas mãos
Seu nome será Morela!
Seu nome será Morela!

Dois túmulos diferentes para a mesma pessoa
Só agora percebe? Depois de tantos lamentos?
Só há um único ser igual
E ele partiu para o além...




No blog da Anna Costa e no facebook oficial do projeto, o conto escolhido para ser discutido este mês foi HOP-FROG

Anna Costa
Acompanhe a discussão coletiva das impressões da primeira obra de Poe neste ano de desafio de leitura ;)


  • Share:

You Might Also Like

0 comentários