Faces

6/02/2016 09:28:00 AM




Mostre-me todas as suas faces em meu jogo de tarô
De um cavaleiro a bobo da corte na carruagem a dar adeus
Sou a sacerdotisa negra ou a morte em trajes vermelhos
Sou a torre de desejos caídos ou o sol dos desiludidos

Correndo contra o relógio das faces em meu jogo do tarô
Escolha qual delas você usará hoje a meu favor
Não sou mais do que um presente para o infortúnio
Não sou mais do que um bom vinho a apreciar

Famintos olhos, famintos olhos

Mostre-me todas as suas faces em meu jogo de tarô
De um herói a bandido, levando nas mãos os tesouros de meu coração
Sou a sacerdotisa negra ou a morte em trajes vermelhos
Sou mais forte do que todas as suas fraquezas e desilusões


Faces, faces

Homem: Sempre estaremos juntos nesse eterno vínculo matrimonial
Onde as damas servem na cama das virginais rosas em púrpura
Sorridentes quando rompemos o medo do portal invisível
Quão sublime dedicação, quando abres meus caminhos e poupa-me de coisas triviais

Mulher: Eu cansei de procurar em seus braços o consolo da alma
Tuas faces hão de provar a certeza de que tanto busco
Minhas cartas e leituras estão certas quanto ao teu fim

Mostre-me a sua verdadeira face em seu último jogo de tarô


  • Share:

You Might Also Like

0 comentários