Lançamento do livro "Lilith Negra"- parte 5: Lilith Iyapo




A obra Xenogenesis (1986) tem em seu primeiro livro Dawn, o dilema do homem despertado em um mundo recém-salvo por uma raça alienígena chamada Oankali. E como se não bastasse, para esses mesmos humanos, uma mulher chamada Lilith seria responsável por ensina-lhes a viver pacificamente com os alienígenas, vistos como demônios. 

Presenciamos em Em Dawn, que:
Os humanos de Butler enfrentam o confronto final com o Outro. O ímpeto desses romances é o medo xenofóbico humano do Oankali, que fornecem a única esperança de sobrevivência— através da mutação e uma aceitação de uma interpretação mais ampla da designação “humana” (McCAFFERY; McMENAMIN, s/d, p. 56) (tradução nossa).
           
Foi justamente neste tocante que perguntamos o que significava realmente ser humano, o que constituía o seu corpo a partir de processos de hibridismos, de identidades, da aceitação do outro como diferencial do clássico padrão dual homem e mulher, questionamentos esses pertinentes em uma ótica da sexualidade que habilmente Octavia E. Butler explorou em sua obra.

Em Aduthood Rites, segundo livro, o destaque foi à problemática do risco da destruição humana que ainda pendura. Falamos que a hierarquia e a inteligência foram os principais pontos aglutinadores de uma tensão nítida entre os humanos e os Oankali, (quando juntas, não são usadas sabiamente) que no planeta salvo graças aos alienígenas, ainda havia hostilidade e a não aceitação de conviver com as diferenças.

Por fim em Imago, último livro da trilogia, o medo e ao mesmo tempo fascínio do construído humano-oankali-ooloi Jodahs foi o foco de discussão. Até quando ser híbrido, em uma metáfora da história, conduzia a perda de identidade ou do que vem a ser a humanidade? Essa também seria uma crítica ou eminente medo de Octavia quanto à engenharia genética, a moldura dos seres humanos como o mais perfeito possível, significando a exclusão ou anulação do outro por padrões reformulados, reprogramáveis, sem supostas falhas?

Mesmo nesses seres humanos digamos perfeitos, haveria uma condição biológica programável a despertar neles, o caminho apocalíptico de sua autodestruição social/mundo? “Nesta terceira novela, Octavia Butler descreve a maturação da raça de Oankali, que, no entanto, incorpora elementos das qualidades humanas originais de Lilith: a adaptabilidade, sensação de aventura e necessidade de busca” (Site Enotes, s/d, s/p) (tradução nossa).



Referências:

BUTLER, Octavia Estelle. Lilith’s Brood (versão epub). New York: Grand Central Publishing Hachette Book Group USA, 2000.

 ________. Ritos de Madurez (Xenogénesis II- versão epub). Tradução Luiz Vigil. 1988.

McCAFFERY, Larry e McMENAMIN, Jim. An interview with Octavia Estelle Butler. In: Across the Wounded Galaxies (p. 54- 70). 

Xenogenesis Analysis- Octavia Butler. Site Enotes. Disponível em: https://www.enotes.com/topics/xenogenesis/in-depth


You Might Also Like

0 comentários

Defenda os animais!

Defenda os animais!

Obrigado por sua visita!

Obrigado por sua visita!