A feiura que a beleza prega

3/28/2014 05:09:00 AM


Eu gostaria de me machucar mais uma vez, ver o sangue jorra até eu perder o fôlego
Estou sendo pressionada a mudar radicalmente, me adequar aos padrões que me cobram um preço alto
Não importa realmente quem eu sou, o meu caráter ou dignidade nesse jogo infernal?
Os anos vão passando e maltratando minha alma com risos, um bullying a mais pra suportar
Eles dizem "Olhem a feiura nas feira das vaidades, onde a beleza reina majestosamente
O que há de fazeres, desprezada no mundo, só os fortes sobrevivem, e os belos respiram ares puros"

A feiura que a beleza prega não pode me consumir ainda mais
Eu não aceito a imagem mostrada no espelho da verdade
O interior nunca foi importante pra ninguém
Mas muitos esquecem que um dia a beleza acaba
Acaba, acaba....

Eu gostaria de agradecer a dor que sinto, é o sinal do alívio que nunca falha em chegar
Ninguém zombará de meus defeitos agora que eu sou uma folha solta a voar com o vento
Não importa se sou apenas uma energia, todos me amam, no final das contas somos iguais
Eu lamento pelo o que fui forçada a fazer comigo em nome de ser bela
Eles diziam "Olhem a feiura nas feira das vaidades, onde a beleza reina majestosamente
O que há de fazeres, desprezada no mundo, só os fortes sobrevivem, e os belos respiram ares puros"

A feiura que a beleza prega não é mais que um mal verdadeiro
Que engana as almas indefesa a almejar utopias, irrealidades
O interior, o seu coração, a sua mente é o que mais importa
Mas  muitos esquecem que um dia a beleza acaba
Acaba, acaba....

Inconformado porque com facilidade tinha tudo nas mãos?
Inconformada porque os lucros com seu corpo não vem mais?

A beleza não é um deus imortal, mas um bem imoral

Ela acaba, acaba, acaba....

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários