Meu paraíso está no interior de sua lápide

5/27/2014 05:51:00 AM


Por que dói essa espera imortal por algo a mais?
Nada se constrói pra durar por tanto tempo assim
Eu gostaria de arrancar meu coração mais uma vez
E entregá-lo ao único homem que eu amei

Meu paraíso de amores prometidos não concretizados
Meu paraíso de rogos e lágrimas sangrentas por você
Meu paraíso gélido e sufocante, consuma-me inteiramente
Pois não posso mais permanecer no mundo dos vivos
Iludida, Iludida, Iludida

Por que dói o engasgo imortal de um choro silenciado?
Nada se constrói com areia e sangue embaixo de seus pés
Eu gostaria de caminhar e anseio por nosso encontro
E espero que ainda se lembre de meu nome

Meu paraíso está no interior de sua lápide
Meu paraíso está ao tocar o chão que me sustenta
Meu paraíso gélido e sufocante, eu quero me entregar
Pois não possuo mais nada que me mantenha aqui
Sem vida, sem vida, sem vida

"Desde dos tempos antigos, renascendo e morrendo
Necessitando da resposta que me guiasse aos céus
Ponho minha cabeça no repouso de tuas palavras
E abraço a fé de teu carinho, em meu leito te aguardo

Docilmente um espectro me olha, não temo
Apenas sorrio e rezo para me livrar desta vida
Me envolva em seus braços e me leve embora
E abraço a fé de teu amor, para sempre iludida"

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários