O término do limite da espera

6/09/2014 06:17:00 AM


As voltas que a vida dá podem continuar
O fluxo contínuo de espaços confusos
O coma enterrado no lamaçal sangrento
De tuas mãos, ergui a bandeira luxuriosa

Eis me aqui, cavaleiro, este é o término do limite da espera
Promessas rompidas nunca hão de existir em nosso mundo
Afogando-se em lágrimas, tentadora forma de salvar-se

As voltas que a vida dá podem continuar
A pena que caí da mão do poeta morto
O coma enterrado no lamaçal sangrento
Tua voz pode ecoar no vazio da terra das sombras?

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários