Lady Ligéia de Edgar Allan Poe

10/21/2014 04:47:00 AM

Ato I (A beleza de Ligéia)
Nem os deuses se comparam a tua beleza
Tristes olhos no céu resplandecem
Uma negra estrela brilha para mim
E eu sei que você reside nela

Tão escuro como as asas da ave agourenta
Tão profundo quanto o oceano, eu estou imerso
E preso a esse sentimento, de coração partido

Ato II (A morte de Ligéia)
É chegado a hora do descanso eterno
Em meu leito vejo sua sombra
Ponha a mão em meu cadáver 
E ouça os lindos versos que fiz

Musa minha, o que hei de fazer sem ti?

Ato III (O lamento de Ligéia)
Escolhestes outra como tua companheira?
E a mim? Continuo abandonada nesse túmulo frio

Eu renascerei para recuperar o que é meu
Eu renascerei para recuperar você
Escolhestes esquecer a dor?
Mas ela me mantém viva dentro de você
Eu renascerei para recuperar o que é meu
Eu renascerei para recuperar você
Minha canção ressoará em sua mente

Ato IV (Delírios do ópio)
Em silêncio, embriagado de desejo
Não consigo me desfazer da lembrança
Na silenciosa noite você me espera

Mas um destino fatal aguarda aquela
Que ousou roubar o meu maior tesouro
E a magia oculta está nas gotas bebida por ela

Eu renascerei para recuperar o que é meu

Ato V (Renascimento)
Um vento misterioso sopra em direção ao seu leito
Um sussurro saí dos lábios da morta, bem vinda!
Uma nova vida ressurge da transformação

"Este são os olhos grandes, negros e estranhos de meu amor perdido... da Lady Ligéia"*

*frase extraída do conto de Poe: Ligéia

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários