Capítulo 1: Fugir de teus braços e promessas

1/06/2015 06:59:00 AM

“Vamos assumir nosso namoro quando?” Perguntei  a Marx assim que ele terminou de fazer a prova.

“Fala baixo, isso vai ser surpresa...”

“Ok. Desculpe.”

“Não me leve a mal, ok? É que por enquanto temos que ficar assim, fingindo que ainda somos inimigos e coisa e tal. Hoje a noite, você não confirmou presença no baile de primavera?”

“Eu não tenho nenhuma vontade de ir. Além disso, não tenho a roupa adequada pra esse tipo de evento. E não quero ser humilhada.”

“Lindsay, houve um tempo em que estava muito perdido, a ponto de realmente acreditar nessas coisas de popularidades e seus caprichos. Não ligo pra esse negócio de você ir com a melhor roupa de marca, maquiada, uma bonequinha... Eu gosto de você por sua espontaneidade, por você ser tão verdadeira e por saber que apesar de todo mal que eu fiz, você ainda tem coragem de me perdoar e de me aceitar ao seu lado. O que mais posso desejar? Se eu quisesse namorar uma boneca inflável e sem pensamento algum, eu juro que estaria rodeado de opções, não é mesmo? Se eu escolhi você é porque estou louco para dar um tapa na cara dessa sociedade de aparência de merda, Li.”

“Ok... Você mais uma vez me convenceu.”

Assim que Marx foi embora para a aula de natação, resolvi fazer uma caminhada, afinal de contas, não faço nenhuma atividade de educação física, desde que colocara atestado médico devido ao incidente no meu braço. Professor Brandon estava debaixo de uma árvore, fumando um cigarro. Eu já havia flagrado ele fumando diversas vezes, longe dos olhares dos outros professores e coordenadores que proibiam tal ato dentro do recinto escolar. Como sempre, de algum modo, eu ficava desconcertada assim que presenciava sua pessoa tão próxima a mim. De certo, alguma força sobrenatural sempre arrumava as ocasiões mais mirabolantes para nos colocar frente a frente no teatro dos deuses.

Percebendo minha presença, ele tratou-se de apagar o cigarro e de enterrá-lo sob a grama. Sinceramente, ele era um tipo de homem bem impressionante, não só porque eu acreditava que um ar de mistério sempre o cercava, mas porque ele me parecia ser uma pessoa que lá no fundo, me compreendia, apesar de ter um defeito: de vez em quando, adorava se intrometer em minha vida. Tudo bem... Poderia ser algum instinto protetor, porém havia certos momentos em que eu duvidava de suas reais intenções para comigo:

“Como você está?” Perguntou o professor, me oferecendo um chiclete. Eu fiz sinal de negativo com a cabeça, respondendo em seguida:

“Fala do braço?”

“Não. Falo de você mesmo!” Falou Brandon a medida que eu sentia que ele estava invadindo o meu espaço, ou seja, meu perímetro de segurança, minha zona de conforto.

“Estou bem, obrigado!” Contudo, a situação entre nós, não poderia ter ficado mais desagradável do que agora, assim que ele disse:

“Não vá a essa festa hoje.”

“Por que? Como você sabe...” Ele não deixou que eu terminasse a frase. Simplesmente segurou meu braço e complementou:

“Tudo isso é uma farsa. Não percebe?” Eu fui bem direta em respondê-lo e me livrar desse fogo que ardia em meu corpo, a medida que, abruptamente, me livrei de seu toque:

“Quem te deu permissão para espionar minha vida? Nem meu pai sabe disso. Como você descobriu meus planos?”


“A questão, Lindsay, não é como sei e sim o que sei.”
                                                 



Queda do Amor

Queda do amor, amor inútil
Palavras se desfazem em pó
Pele por pele
Você é inocente mas quem sou para confiar?
Eu sinto um sopro ao contrário
Fazer amor revive apenas mais um momento
Podemos ser criaturas da noite?

Eu sou obrigado a viver pra sempre
Eu estou vivo o bastante para te sentir
Por que estou me escondendo?
Estamos apenas morrendo?

Seu sopro de vida
Eu sinto seu calor como raio de sol em uma rocha
Pecado por pecado
Você é inocente e quem sou para confiar?
Eu não sei como virar esta página]
Fazer vida revive, algum dia isso acaba
Podemos ser amantes na luz?

Eu sou obrigado a viver pra sempre
Eu estou vivo o bastante para te sentir
Por que estou me escondendo?
Estamos apenas morrendo?
Sou amaldiçoado a amar no escuro
Estou vivo o bastante para te tocar
Por que estou respirando?
Estou apenas morrendo para virar pó?

Por que eu estou florescendo?
Por que eu estou negando?
Por que eu estou desejando?

Eu sinto um sopro ao contrário
Fazer amor revive apenas mais um momento
Podemos ser criaturas da noite?

Sou amaldiçoado a amar no escuro
Estou vivo o bastante para te tocar
Por que estou respirando?
Estou apenas morrendo para virar pó?

Estamos apenas morrendo?
Desfazendo em pó

Queda do amor
Queda do amor

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários