Capítulo 13: O louco

3/24/2015 10:41:00 AM

"E essa dor nunca vai passar
Esse nó na garganta é o sinal
De que devo chorar mais que todos
Porque eu sei que te desonrei
O causador de tua aflição sou eu
E recorro ao teu afago

Eu não quero está a mercê da dor
Pois sofri por você, meu único amor
Vou achá-la, pelos céus há de habitar?
Como pode se na terra ainda tenho em mãos
Teus restos mortais a me consolar?


O perdão para mim é mais que qualquer salvação que possa me oferecer
Pois o martírio maior é fechar meus olhos e rever a cena mil vezes
Por Deus, se o maldito tempo pudesse me ajudar
Eu nunca a machucaria, oh minha flor matinal de pétalas negras
Eis me aqui, humilde servo

Devora-me, devora-me loucura, pois fui eu, somente eu, quem mais te feriu..."


"Pobrezinho do meu irmão, mãe! ", falou Ben, irmão de Marx.

"Como nós não percebemos o que estava acontecendo, doutor? Me sinto tão impotente por não ajudá-lo... E bastante infeliz por vê-lo em atual estado de loucura. Desde que aquela jovenzinha morreu,  meu filho não anda bem do nervos. Eles eram bem amigos, sabe... Mas do nada eles se intrigaram. E acho que o choque por vê-la morta foi a pior coisa pra sua saúde mental. Não gosto nem de falar nisso e imagino o quanto ele sofreu calado com isso, doutor".

"É uma lástima, senhora, mas tenho certeza de que podemos ajudá-lo".

"Eu espero que não seja tarde demais... O senhor sabe que ele andava dizendo ter visões da falecida? Bem, ele dizia que não eram visões e que a menina estava viva, de carne e osso, transitando pela Terra. Mas ela estaria mudada, perversa e que sua vingança seria vê-lo enlouquecer de arrependimento. E agora, do jeito que está, passa as 24 horas do dia escrevendo essa mesma poesia, repetidas vezes, me faz partir o coração. Teve um dia que não lhe dei papel e caneta. Ele se cortou e escreveu uma parte da poesia na parede do quarto. Que horror, doutor!"

"Realmente é triste senhora, mas volto a repetir: ele está em boas mãos e vamos fazer de tudo para ajudá-lo".




Libertada

Caindo, todas as cores desaparecendo
Definhando, minha hora esta chegando
Anulando, minha inspiração
Ganhando consciência
Me liberte!

Em dias passados, eu posso me lembrar que
Meus pensamentos eram claros e sábios
Não havia escuridão manchando as paredes de minhas memórias.
Agora há uma névoa me jogando para os lados
E me deixando sem nada a ganhar.
Me puxando para trás, me fechando em divergência

Onde eu deveria estar?
Sinto que estou perdida em um sonho
Anseio pelo dia em que eu possa ser eu mesma

Quando estiver livre
Quando o meu sol se pôr
Libertarei minha alma para sempre
Não terei arrependimentos
De ser livre
Existirei novamente
Sem mais esforços perdidos
Nada para se preocupar
Quando eu for livre

As cores diminuem, tudo que me define
Está se perdendo, distante
Não a nada para me manter no tempo, no aqui e agora

Onde eu deveria estar?
Sinto que estou perdida em um sonho
Anseio pelo dia em que eu possa ser eu mesma

Quando eu for livre
Quando o meu sol se pôr
Libertarei minha alma para sempre
Não terei arrependimentos
De ser livre
Existirei novamente
Sem mais esforços perdidos
Nada para se preocupar
Quando eu for livre

[Coral]:
Me cure, me liberte, me veja
Sem mais preocupações, sem mais perdas
Me salve, me aproxime, me ajude, me escute
Sem mais coração partido, sem miséria
Me cure, me liberte, me veja
Sem mais preocupações, sem mais perdas
Me salve, me aproxime, me ajude, me escute
Sem mais coração partido, sem miséria (Nós desesperamos)
Me cure, me liberte, me veja
Sem mais preocupações, sem mais perdas (Sem conserto)

[Simone]:
O tempo é só um conceito
E sempre a primeira coisa a sumir
Agonia e fraqueza
Não são nada que possamos evitar
Os anos são cruéis, eles nos quebram
Trazendo decadência e desespero
Ciência e percepção
Algo que nunca podemos consertar

Minha liberdade é tudo que eu realmente quero e preciso
Me dê o poder de escapar
Não posso mais aguentar
Chegou minha hora de acabar com isso tudo

Não há quem culpar, o destino é aleatório
Não é algo que vamos conseguir explicar
E assim permanece

Onde eu deveria estar?
Sinto que estou perdida em um sonho
Anseio pelo dia em que eu possa ser eu mesma

Livre

Quando serei libertada?
Não é o jeito, que deveria ser
Aguardando novamente para ser eu mesma
Quando serei livre

[Coral]:
Liberte minha consciência

Quando o meu sol se pôr
Libertarei minha alma para sempre
Não terei arrependimentos
De ser livre
Existirei novamente
Sem mais esforços perdidos
Nada para se preocupar
Quando eu for livre

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários