Capítulo 8: Palhaço

3/03/2015 11:26:00 AM

As palavras de Brandon (ou o seu alerta) martelavam na minha cabeça à todo instante. Eu me negava a acreditar em tudo que ele dissera que era verdade: que Marx estava junto com a Wanessa e que Carol e não sei quantos mais me odiavam, e que aquela festa era uma baita armação pra mim ferrar.

Aquelas mãos que me apertavam agora era o sinal final de tudo. Por mais que eu implorasse por minha libertação, mais o "casal sensação" soltava gargalhadas e uma chuva de comentários depreciativos. Eu estava começando a ficar irada... Não com eles... Mas comigo, por ter sio tão estupidamente ingênua por acreditar que alguém se aproximaria de mim.

O "Eu te amo!" de Brandon ressoou suas boas intenções para comigo, porém naquele momento, não passou de mais uma promessa qualquer.


"Você é nossa rainha. E a corte e o povo deseja conhecer a razão de nossas vidas! Aliás, se você não entrar naquele palco aí e desfilar pra nós, seu pai bebarão terá mais um motivo pra beber ainda mais, quando souber que sua filhinha anda tirando umas notas baixas, matando aula e sendo tão perversa comigo... Ainda tenho suas cartas ofensivas. E ainda tem uma coisinha: um vídeo de uma super top model nuazinha,um tipão de mulher, super desejada...um vídeo pra lá de sensual depois de um banho pra lá de gostoso depois de um exaustivo treino. Não é genial essas coisas legais escapando na web? Já imaginou? O poder da web é demais! E as pessoas julgando você seria melhor ainda... Nossa! Que vergonha...Por isso, sugiro que suba naquele palco e não desça do salto não! Estaremos de olho em você, Li. Um passo errado e tudo estará acabado."

Naquela época eu só era uma garotinha insegura. O que eu poderia ter feito? Chamado socorro e provavelmente ter sido espancada antes de chegar ao telefone? Como eu iria olhar para meu pai? Essa pressão nunca iria acabar! Haveria outro jeito de lhe dar com a situação. Mas eu não tinha aptidão pra pensar em nada racional desde que fui bombardeada por todas aquelas informações. O jeito foi ser o palhaço no show de horrores de meus amigos. Eu não conseguia enxergar nada além do que os rostos zombateiros. E aquele que se dizia ser meu amigo, o Marx, estava ali no meio, com um mister de zombação e frustação, de uma certa maneira.

Ass: Lindsay


Circus Negro 
Dia e noite, não importa onde você vá
Eles segurar o espelho
Para você engolir
Seu orgulho e honra
E lá eles estão olhando para você em todos os lugares
Você vai!

Eles estão em sua cabeça, você está dominado
Eles estão lá como vermes comendo suas entranhas
Você pode parar os relógios? tic, tic, tac, na sua
ouvidos?
Pare a fiação do Psycho Circus em minha mente!

Eles são a voz da consciência
A voz de atrito
Whispers em sua prisão
Eles estão lá o tempo todo
Até encontrar expiação de suas maldades!

Eles estão em sua cabeça, você está dominado
Eles estão lá como vermes comendo suas entranhas
Você pode parar os relógios? tic, tic, tac, na sua
ouvidos?
Pare a fiação do Psycho Circus em minha mente!

Eles estão em sua cabeça, você está dominado
Eles estão lá como vermes comendo suas entranhas
Você pode parar os relógios? tic, tic, tac, na sua
ouvidos?
Pare a fiação do Psycho Circus em minha mente!


  • Share:

You Might Also Like

0 comentários