Capítulo 14: A filosofia da psique

12/10/2015 07:31:00 AM

Essa foi a reposta encontrada em um livro de Psicologia da Religião sobre o meu "eu". O problema de construir relacionamentos duradouros ou partir para um amadurecimento pessoal e sexual, residiria na capacidade de você se aceitar tal como é. 

Eu tenho a humildade de assumir que estou vivendo uma fase de isolamento pessoal. O afastamento das pessoas significa (assim espero) um espaço a mais para refletir sobre mim mesma e sobre relacionamentos. O fato da importância que credito neles e especialmente nas pessoas, talvez seja a razão que me motivou a tal ato. Eu sempre serei uma pessoa a agir pela emoção e nunca racionalmente. Acho que no fundo, considero uma boa opção quebrar o pescoço, do que fragmentar meu coração. No final, é o mesmo "the end of every story", não é?

Eu acho que nunca vou ser o bastante para as pessoas, elas nunca irão me admirar ou gostar de mim. Sempre o outro será melhor do que eu ou terão mais habilidades, mais entrosamento, terão mais beleza, mais inteligência, mais tesão, ou sei lá mais o que...

Eu dei um grande passo em minha vida quando conquistei amizades do sexo oposto, visto que na infância e na adolescência seria impossível tal feito, em razão do meu próprio sexo e do oposto serem os principais causadores de bullying para com a minha pessoa. Acho que nunca superei isso. Será uma página de meu livro, que por mais que eu queira passar, sempre o vento fará com que um dia, eu tenha que folhear esta página. 

Meu mecanismo de defesa atuou por anos, me fechando e anulando qualquer vínculo social. Tive somente uma amiga verdadeira que até hoje me acompanha na caminhada da vida (somos amigas há 16 anos e nunca brigamos ebaaaaaa). Foi isso que me restou. Amigos homens, eu comecei a realmente conquistar por volta de 2008. E deles, me restou apenas um, que entende o meu mundo louco.

O fato é que relacionamento (seja ele qual for) sempre é um bicho de sete cabeças pra mim. Me lembro que a primeira cantada na vida que eu recebi, eu demonstrei-me surpresa e ao mesmo tempo fui tão ignorante com o pobre do rapaz. Eu pensava "cá com meus botões": "Eu não sou merecedora da atenção, do carinho ou do amor dele. Há pessoas melhor do que eu. Isso é uma brincadeira do destino. Só pode ser. O que eu tenho de tão interessante?"

E quando o elogio "você é linda" surgiu, para mim, foi a maior ofensa que eu pude escutar (e até hoje eu não aguento alguém dizer isso de mim... por mais legal ou sincero que seja, soa como falso pra mim...eu não confio em meu taco). E ai, o berço da ignorância falou mais alto e espantei o pobre do carinha.

Eu fui culpada por terminar um relacionamento com um grande ex-amigo que até hoje eu lamento tanto e que gostaria que ele soubesse disso. Da parte dele, ele tentou de todas as formas se aproximar de mim, quando meu mecanismo de defesa começou a atuar. Eu coloquei na minha cabeça que estava enciumada pelas amizades deles como certos "homens" e com uma fotógrafa chatinha (não aturava a guria, desculpe)... Mas isso era só uma desculpa. Eu tinha "abusado" de estar com ele, andar com ele, de seus amigos. E motivo algum ele me dera. Simplesmente eu sou assim.

Lamento muito por tudo que perdi e pelo o que eu ainda vou perder com esse meu gênio. Mas mesmo assim acho que vale a pena lutar pelas pessoas...lutar por mim...

E o que raios a filosofia da psique tá aqui? É justamente isso. Pessoas que não acreditam em si, que se sentem inferiores, tem tendências a serem isoladas, tristes, mas isso deve ser superado. A pessoa deve se colocar em um patamar em que esses traumas pessoais não o aflijam. Muitas vezes seus relacionamentos são conflituosos, duvidosos, e funcionam como mecanismo de defesa e anulação da própria capacidade de entender a si e ver algo de bom, que as pessoas veem em você, e que você insiste em anular. 

Uma pessoa citada como "espelho" da filosofia da psique é Arthur Schopenhauer (e Raquel Alves kkkkkkkkkkkkkkkkkk)


  • Share:

You Might Also Like

2 comentários

  1. Li bem sua descrição,e quero dizer que apesar de ter estudado as ciências exatas,sou um fa das humanas,e digo em relação ao teu relato que nao existe meio apego,menos amor,mais saudade ou menos carinho.
    Quero dizer baseado em uma experiência recente,o que eu digo pra todos,pequem por tentar,mas nao por vacilar,porque a decepçao passa,mas o no na garganta e eterno.
    Recentemente conheci uma amiga também,muito inteligente com conteúdo,educada,amiga,fina,culta bem diferente,de tantas por esta vida,que podem ate ter beleza,mas nenhum recheio,vazias.Esta amiga no qual me da a honra de ser minha amiga(acho),batalhou,se formou e deve ter dado muito orgulho para seus pais,esta amiga se chama:RAQUEL ALVES!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado por seu comentário lá no blog... chorei por saber de seu relato em relação a mim.. é muito carinho e fico feliz :) muito obrigado por se importa comigo e com meus sentimentos... receber o carinho de pessoas como vc me motiva a viver ainda mais!

      Excluir